segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

toc toc

Ela saiu de casa como sempre insegura , estalava os dedos em uma certa ordem que ela mesma nem sabia , ela estava tao carente que certamente nao passaria a noite em casa, junto com ela estava aquela garrafa de martini da mais barata que ela pode arrumar , mas que certamente estava muito boa , e as vezes dava vontade de abrir , mas ela ja estava totalmente alagadada pois chovia tanto , que chegar com a garrafa pela metade e com cheiro de bebida seria pior do que aquele seu cabelo que nunca fora tao bom e agora estava feito um pinto molhado ,
As vezes os carros passavam voando por ela e a molhava inteira , mas quem esta na chuva é mesmo pra se molhar né?
As vezes ela delirava e se sentia nos braços dele , sentia seus beijos com gosto de menta e aquela abraço de anjo , quando voltava em si o que lhe dava coragem de seguir era saber que ele estava a esperando , na porta , com aquela cara de stuart dele , com um vinho quente na mao , porque naquele frio ela nem mais queria saber de martini , mas sim de vinho , chocolate quente , e aquelas coisas de inverno , tipo sexo.
Assim passaram as ruas , estava tao alagada que nem mais sentia como os carros passavam a cem por hora e acabavam de jogar toda aquela lama do meio fio em seu vestido , sim ela fora de vestido , talvez achasse mais sexy e a noite prometia , ele sempre gostou quando ela ia de vestido , e ela achava um tedio , nunca foi muito comportada ,
Depois de muito andar , e procurar um taxi que nunca passava , ela chegou , tendou dar algum jeitinho no seu cabelo naquele elevador venho e que lhe passava medo , mas nao consiguiu , tinha esquecido que nem espelho aquela porcaria tinha , bateu , bateu mais uma vez , ligou e nada , será que ela estava delirando quando ouviu aquela voz fria no telefone? sera que de tanta carencia ela ficara maluca e estava ouvindo vozes? ate agora ela nao sabe , so sabe que ficou sem o vinho ou o chocolate quente , durmiu sem seu orgasmo e nao soube como chegar chegar em casa.

sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

mais uma dose.

Estava tão calor que ela já estava a ponto de desmaiar, seus dedos estavam doendo de tanto tentar aquela musica antiga do guns and roses no violão , que já estava pra lá de desafinado com várias tentativas frustradas, sua cabeça latejava , ela estava tão cansada que cairia e dormiria se não tivesse tomado tantas doses de vodka pura , sem gelo e sem limão e tinha deixado ela , não embriagada , mas dispersa . A vodka descia pela sua garganta como um vergalhão arranhando sua faringe, esôfago e todas aquelas partes que ela aprendera na escola há um tempo, e ela sabia que já não agüentava mais uma dose então iria chorar feito um bebe, porque essas vodkas são umas filhas da puta, te ajudam mas também te trazem uma melancolia depois de um certo tempo .


O cinzeiro já estava cheio de pontas e cinzas , assim como o chão e sua cama , na mão mais um cigarro, que já estava no fim antes dela acender outro com o mesmo. Certas horas não tinham companhia e o cigarro sempre foi seu melhor amigo, sempre a ajudou superar acompanhado de uma boa dose de algo alcoólico ou um chá de coca talvez, sabia que não era isso que ela queria pra ela, ela preferia continuar no seu curso de teatro e fazer mais algumas propagandas inúteis que te fariam a pop da escola, e faria sua mãe contar para todas as vizinhas invejosas e mal-amadas a ver tal canal tal hora que a filha linda & maravilhosa & fútil dela estaria fazendo a propagando da loja mais banal que existe, mas não, ela acendia cigarros compulsivamente e dava vontade de escrever , sentia saudade de uma certa menina também , logo ela que a fazia tão mal , olhou pro cigarro e lembrou dela , logo dela que a julgava tanto, mas que ela sentia um apreso imenso - Talvez um dia ela descubra que não é isso que ela quer pra própria vida , talvez um dia , ela veja que ela é realmente maluca e que todas as pessoas tão certas , talvez fumar tanto faça realmente ela passar mal e ter um ataque cardíaco aos dezessete , e ela entre pra fila dos incrédulos que precisam de algo após a morte porque vagar por ai seria tortura demais, e ela não agüentaria , só que sei lá, ela não tem porra de perspectiva de futuro nenhum , então ela acendeu mais um cigarro , deitou-se sobre o livro que ganhara e estava lendo ansiosamente, lera uma certa mensagem no celular e dormiu , porque dormir fazia ela esquecer , e esquecer de tudo era o que ela(eu) mais precisava naquele momento.



Mas não se preocupe, não vou tomar nenhuma medida drástica a não ser continuar , tem coisa mais autodestrutiva que insistir sem fé alguma ? (...) ’ – morangos mofados – pág 28.

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

um brinde.

Sumi por uns dias, sumi da sua vida , sumi da minha , sumi do blog , eu realmente estava ansiosa demais para escrever , certamente escreveria lorotas que me fariam passar por uma adolescente compulsiva e mimada , que sou .

Certamente você nem deve se lembrar de mim deve esta procurando outra pessoa ou coisa pra preencher esse coração pedindo pra ser amado, digo a vocês que estou me achando uma trouxa que perdi a única coisa que nesse momento na minha vida podia ter a remota possibilidade de tirar toda essa escuridão que habita em mim.

Fato que minha TPM ajudou bastante nesse meu sumido não-remunerado e que eu como infantil que sou vou usar essa desculpa para tentar camuflar meus erros e infantilidades, acredito que nem se lembre de como eu havia comentado sobre a minha outra personalidade pré menstrual, acredito que nem se lembre como eu chorava e você me fazia sorrir novamente, confesso que nos meus curtos dias sem você senti sua falta, odeio admitir isso e digo mais : concordo plenamente se você nunca mais quiser olhar para mim, afinal eu que quis isto, poderia falar mil coisas a você, mas não, prefiro que você me fale... Eu acreditava que tinha perdido a mania de me testar, de testar se realmente quero, e com isso após perceber que desejo perder , mas nao perdi

Um brinde ao pior final de ano de todos os tempos, creio que nem se tivesse uma nevasca eu estaria feliz , nem se papai Noel ou do céu realizasse todos os meus desejos sujos e incrédulos eu teria algum motivo a mais para sorrir, ou para rir , ou pra viver , levantar da cama , começar meu dia.

Um brinde ao meu egoísmo e infantilidade, que eu possa continuar perdendo todos que me querem bem ano que vem e idolatrar os cafajestes que não amo. Assim um dia quem sabe eu possa crescer e fazer jus a todas aquelas pessoas que dizem que eu tenho uma mente perspicaz e que nada que eu diga convencerá sobre minha idade, um grande brinde a infeliz que sou, e que vou ser.

A verdade é que chutar o amor é diferente de chutar alguém. Eu gostaria de ter alguém para chutar por medo do amar, mas que eu ame mesmo assim.



" Venha, o amor tem sempre a porta aberta, e vem chegando a primavera
nosso futuro recomeça, venha, que o que vem é perfeição "

domingo, 20 de dezembro de 2009

o ontem.

O som do carro era baixo , a música mesmo desconhecida me era familiar , e eu sentia um vazio gostoso dentro de mim , pela primeira vez eu estava bem sem você , apesar de voce esta do meu lado , pela primeira vez depois de todo esse tempo , eu tinha chegado ao ponto de sair com você de novo , entrar no seu carro - seu carro que tinha o meu cheiro até hoje , incrivel , notei que voce ainda tinha meu cordão pendurado no espelho, e que tinha diminuido no cigarro afinal nao tinha mais aquele cheiro forte de antes ,apenas o meu. afinal nada era como antes, tirando aquela sua mania da achar que os outros motoristas te ouvem e discutir com eles , por um momento eu achei que era como dois anos atrás , mas enfim não era - você me olhava e eu ficava tímida , e acho que ele notou que eu não era a mesma de antes , acho que ele percebeu que fiquei tímida afinal depois de tanto tempo separados era o natural , eu sempre fui uma menina tímida , a nossa intimidade tinha diminuído , o nosso convívio tinha acabado e eu até naquele momento não tinha a menor noção do que estava fazendo ali , nao tinha a menor noção de onde você estava me levando , já tínhamos passado da ponte e eu ainda não tinha mencionado nenhuma palavra, quando eu disse sim a você estava fora de si , só pode - você cantarolava beatles com aquele seu inglês perfeito que colocava meus oito anos de curso no chão , cantarolava sorrindo; talvez lembrando das noites que você passou naquele albergue em washington, a um tempo atrás, me recordo que na época ainda teve a audácia de dizer que fez o intercâmbio pra me esquecer , precisa estar distante de mim, já que eu queria o nosso fim , mas você talvez nunca tivesse percebido que quem quis o fim foi você , quem se acomodou fui você , quem não me surpreendia mais foi você, e eu por um fio , tentava de todas as maneiras possíveis tirar o nosso relacionamento daquele buraco que estava , fui até chata algumas vezes , cobrei demais , pode ser que um dia eu até perceba que a culpa foi minha , e eu por ser muito romântica possa ter cobrado desnecessariamente mesmo. Me deu vontade de ir embora , da minha solidão diária e deitar na minha cama , ouvir cazuza e mergulhar no meu pessimismo e minha insegurança, você me olhou e perguntou se estava tudo bem , eu disse que sim , conversamos um pouco sobre faculdade , assuntos dispersos e enfim chegou , eu nao acreditei quando olhei de novo pra aquele restaurante, o nosso , almoçamos e jantamos ali tantas vezes , e ele tinha me levado justo aquele , estava jogando sabia que eu nao me recusaria a tomar aquele vinho seco de sempre e comer salmão , eu que sempre fui tao fã, entramos e sentamos na mesma mesa , esitei mas foi desnecessário , almoçamos calados e as vezes ele tirava algum assunto já esquecido e mencionava , parecia feliz , eu também mesmo com toda aquela incerteza e aquele receio que me deixava dura feito um robô também estava feliz , por algumas horas estava ao seu lado , sentindo seu perfume, começamos a conversar mais descontraidos até que comemos aquela sobremesa de sempre, tudo estava como antes , tudo era o de antes o de sempre, as minhas memórias de um namorado fogo brando estavam tão no fundo que já quase nao me assombrava, tirando as horas que eu lembrava que o natal estava chegando e este seria o primeiro sem você , fiquei tão dispersa que nem ouvi quando você levantou-se pra me acompanhar novamente até o carro , me senti tão lisonjeada que sorri , voce nao soltou minha mão e andamos juntos, me sentia tão bem que tinha medo que acabasse , saímos do restaurante , senti frio , me arrepiei , você notou , e eu notei que sorriu de leve , provavelmente lembrando-se que eu era tão fácil de se arrepiar que as vezes tinha isso como hobby , você colocou meu cd favorito , notei que ainda era aquele que eu tinha gravado quando fomos até Sana e tinha todas as nossas músicas - estava jogando mais uma vez , sabia que eu ficaria comovida, até um pouco nostálgica com aquele cd , cantarolávamos baixinho e as vezes você errava a letra , riamos alto , delicioso - notei que não era o meu caminho que você tinha tomado , tentei lembrar qual era o caminho para o seu apartamento mas já tinha me esquecido , sou péssima de memória , e já nem lembrava mais se ele ja tinha se mudado novamente , por quase um segundo fiquei triste , nossos universos estavam tão distantes que resultado da minha falta de memória eu já tinha esquecido inúmeras coisas sobre você ,sobre nós . me fez algumas perguntas , relembramos alguns fatos , (sempre os engraçados), talvez porque como eu ele não queria lembrar das partes trágicas , a tarde esta tão agradável . . . enfim perguntei pra onde estávamos indo, ele sorriu e assegurou-se que eu nao estava nem um pouco preocupada , apenas curiosa e fechou os olhos , acredito que tenha percebido que eu já nem mais me recordava aonde era sua casa , quase nossa , afinal eu passava mais tempo lá do que aqui,- reconheci a rua , a fachada , o elevador , tudo , as minhas memórias vinham como um corredeira , derrubando tudo , trazendo o antes para aquele momento , me senti no ano passado , me senti sua de novo, me senti feliz como antes, como o início - entrei , incrível estava do mesmo jeito que eu havia deixado , os incensos , o buda ; tudo estava no mesmo lugar , tirando todos aqueles portas-retrato que estavam vazios , sem nossas fotos , fato - não liguei me senti imersa naquele ambiente que tinha cheiro se canela , cheiro de nós . fiquei minutos nas minhas lembranças reconhecendo tudo aquilo , todos aqueles cantos , aquela colcha , aquele sofá que tinha um cheirinho bom, incrível, passamos horas ali , deitados no chão , ouvindo música e vendo fotos , fotos antigas , fotos engraçadas , algumas nos trouxeram saudade, outras medo , outras até dó , mas eu estava tão completa ali ao seu lado que nada naquele momento nada me faria mal, confesso que queria um beijo seu , já quase não lembrava seu gosto , - você me levou em casa, convidei pra entrar e recusou , afinal eu já sabia que não ia dar certo. o carro parou , as luzes se apagaram , a rua estava vazia , minha casa estava iluminada com luzes de natal , lembrei novamente do natal, do primeiro depois de você - você já ia se levantando pra abri a porta pra mim , sempre tão galanteador , e voltou talvez deve ter lembrados de quantas vezes você entrou por aquele portão , de quantas vezes paramos o carro naquela mesma posição, - você encarou e veio ... o seu abraço era o mesmo, leve feio um anjo e ao mesmo tempo me dava a melhor sensação do mundo , seu beijo continua o melhor,achei que nem mas sabia como era , mas reconheci quando seus lábios tocaram o meu . você então sorriu pra mim. entrei em casa e cai na minha cama , que por um momento achei que tivesse voltado a ser nossa, dormi como um anjo , como uma princesa sei lá , nao tenho nem metáforas para comparar, enfim hoje estou aqui , reescrevendo o ontem, as coisas já não estão tão boas como estavam , já tenho saudade da sua voz , e do seu abraço leve , mas estou bem , já tinha certeza que nada ia ser como antes só por uma tarde , mas enfim estou bem , as coisas estao acontecendo no tempo certo , e quem sabe um dia os meus sonhos não se tornam reais, quem sabe um dia depois de uma tarde destas , você me ligue ou venha até a mim e me diga tudo aquilo que eu precisava ouvir agora, me diga que eu ainda posso te chamar de meu e que "apenas começamos".




" Isso é pra você ter a convicção de que tudo pode ser como antes
e que as vezes precisamos esquecer dos problemas
para encontrar as soluções."

y - 19/12/2009 - 23:58

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

que eu tenha a quem amar.


O café estava forte , a noite quente insistia em cair e o som dos trovões ensurdeceu a minha mente , assim como a chuva pela janela , minhas lágrimas escorriam formando um sintonia ideal com meu rosto gélido, a chuva em si carregava tudo o que via , e levava com ela além de troncos e galhos todo aquela alegria que eu havia vivido alguns dias a traz, e trazia juntamente com o vento medo e dor ao meu coração artificial que insistia em bater desprotegido e só, eu tentava entender e descobrir de que temia , mas minha cabeça que já latejava nao encontrou nenhum motivo claro, e continuei ali imersa sobre a luz daquela pequena vela que tentava de forma inútil iluminar aquela noite. Como sempre me sentia cada vez mais só , e precisava de alguém , pra tirar meu medo , e com isso forte como aqueles trovões vieram as lembranças e lembrar de voce , era o que eu mais temia , estava me saindo tao bem ,controlando meu vicio de voce tao bem ... mas veio. lembrei dos nossos banhos de chuva, lembrei como voce tampava meus ouvidos quando eu fingia estar com medo daqueles barulhos lá fora, mas quem nunca se sentiu assim , quem nunca quis nao lembrar e lembrou?!com o passar do tempo a chuva ia cessando , mas dentro de mil o temporal apenas havia começado , eu nao estava em si , nao estava ,estava distante , na sua cama , no seu colo. e com tantos problemas , ou algumas coisas boas pra pensar , pensar nele por que? e assim aquela noite passou , como de fato nao dormi , tenho notado que minhas lembranças andam mais fortes que aquele remédio que antes era certeiro , ainda espero o dia que a solidão e as lembranças nao venham me assombrar em noites como as de ontem , espero o dia que eu tenha novamente a quem amar , e que eu tenha novamente quem me proteger e me fazer dormir cantando aquela velha de ninar que eu precisava desesperadamente ouvir, espero o dia que eu possa amar sem medo , e se tiver medo que eu tenha a quem amar.


" Do amor pouco sei,
E quase tudo espero
amando eu me acalmo e me desespero "


- o texto foi escrito na noite de ontem , mas como nao havia energia inicialmente teve de ser a moda antiga , com lápis e papel.



quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

eu e ele

o telefone tocou, naquela noite no meu quarto , e ninguém imaginava quem seria , era tarde , era quente , eu que ja estava me sentindo tao só , precisando tanto de uma compania pra que pudesse ocupar o lugar sempre vago ao meu lado naquela cama confortavel e fria, piorei, voce tem ao certo a formula de me deixar assim , mal , voce tem todas as palavras na sua garganta prontas pra explodir , pra começar mais uma vez esse seu jogo que é amar , voce pensa que amar é um jogo , e como diz meu caro caio " meu coração tá ferido de amar errado " , voce soltou todas as palavras de sempre com aquela voz fria feito gelo , e me fez chorar , enquanto suas palavras saiam pelo telefone as minhas lagrimas quentes e sofridas escorriam feito um rio , sobre minha face , incredula , a cada silaba que ouvia era como uma unha arranhando todo meu coração que ja anda tao debilitado , coitado , tenho pena ,e logo eu que ja havia me prometido em nunca mais atender voce , mas voce tem o total efeito sobre mim , e falava como se estivesse vendo o que eu estava acontecendo, o meu estado , como se estivesse ouvindo os meus soluços que eu tentava de forma inutil desfarçar , voce desligou , e pela primeira vez eu nao chorei sozinha , eu precisa ouvir aquela voz que ouvi poucas vezes , mas que me acalmava e me fazia sorrir de uma forma inexplicavel, logo eu que sorrio tao pouco , foi quando o telefone novamente tocou , mas dessa vez , foi diferente , dessa vez nao foi voce , foi ele , e é assim que as coisas estao acontecendo, pouco a pouco , como deve acontecer , a saudade bate , saudade de quem nunca vi ,a vontade vem , vontade de quem nunca tive , e confesso que eu estava realmente precisando daquela exclusiva maneira de bater , lembra se como era?
confesso que eu trocava meu cigarro, que eu tragava excessivamente, me sentindo mais leve , mais distante por ele , e trocava aquela noite quente e sozinha , por uma fria , com ele , e agora o que me motiva a escrever esse texto , pela primeira vez nao é voce meu caro , é ele.


" por onde andei , enquanto você me procurava (...)
Será que eu sei? Que você é mesmo
tudo aquilo que me faltava... "

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

nostaugia .


Capítulo XI - nostaugia


(...) saudade do meu tempo livre em que eu queimava cigarros na areia do mar , saudade da agua , das minhas reflexoes inuteis sobre a areia salgada que a pouco me molhava e me fazia sentir frio , e eu adororava a sensação , sempre fui fã do frio da nostaugia (...) , saudade de ouvir meu caro cartola vendo as ondas bater , elas vinhas e beijavam a praia com uma sintonia ideal , é eu realmente devo estar necessitada de umas grandes férias , pra esquecer todos esses meus insoluveis problemas e buscar possiveis soluções , estou precisando dumir as quatro, insana e ver o sol nascer na praia do cimitério que invade o meu jardim pela manha,to precisando da praia do forno , daquele azul ,daquela fumaça a noite , que nos deixava sem medo , sem rancor; to precisando da calma que o litoral me faz , de como ele me faz lembrar voce , das vezes em que nos amamos na areia , nas vezes em que ouviamos o vento soprar forte e nos arrepiavamos de frio , ou talvez não. Mas com todo a minha convicçao, o que eu estava realmente precisando agora , era de você comigo ,pra me fazer feliz, ou talvez não.




" trecho retirado de um livro meu , que fatalmente foi um dos muitos que eu comecei e ficou sem fim (11/2008) "

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

futura estrada.

Não vim parar aqui por nada. Vim pelo seu perfume que nem conheço. Vim pelas frases mal escritas em cada trilha que vim pisando. Vim por estas estradas velhas e com árvores secas, parei e pedi ajuda, pedi que me guiassem até o seu amor, ninguém me ouviu, só me trouxeram água para me acalmar, eu precisava de uma boa dose de vodka e ficar bem insano, assim a estrada seguiria melhor.

Eu precisava queimar pontas de cigarros, pra que eu pudesse fumar sem ver, sem notar a falta que você me faz, sem notar o como o caminho ate você é longo, é difícil sem mesmo saber como és de verdade, sem mesmo nunca ter te tocado, mas ter a certa convicção de que é você, é sim, não vim aqui por nada, vim apenas pra acalmar essas minhas lagrimas que insistem em cair lentamente assim como os pingos dessa chuva inanimada escorrem pela janela do meu quarto, minhas lagrimas ao contrário da chuva são quentes e recheadas de sentimento, de vontade. Não vim aqui por nada, vim pelo som da sua voz, pela batida das suas asas pelo calor do vazio que você faz em mim.



por thamiris mendez e c. lagos.


" que estas sejam as primeiras de muitas palavras juntos . "

vivemos num mundo doente.

Todo mundo sabe , e ninguém quer ver ,todo mundo sabe que o tempo passa tao rapido e que quando se ve nao há mais o que fazer, todo mundo sabe que o tal aquecimento global esta destruindo todo o mundo pouco a pouco , destruindo as geleras que viram agua e vem tomando todo o litoral , o litoral que me lembra noites frias e fumaça, todo mundo sabe que ninguem é feliz o bastante e ninguém vê , as pessoas fecham os olhos pro mundo porque nao ve, doi menos , porque se finjir de cego é mais facil que reverter a situação desse mundo doente,todo mundo sabe que cada um tem uma cura, que cada um tem mais do que precisa e quem nao tem nada , nao tem ajuda ,todo mundo sabe que devemos amar uns aos outros , mas esse papinho de deus anda tao pra baixo e demodê que ninguem mais quer saber , ninguem mais acredita, ninguem tem mais medo de deus , que medo? que inferno? eu nao tenho mais.
Eu tenho medo é de me enquadrar nessa sociedade de que alternativa nao tem nada, tenho medo de me misturar nesse mundo hipócrita que me faz comprar vestidos ao monte e ver gente morrendo de sede , de medo , de aids , eu tenho muito medo desse mundo que me faz ser igual a todos , iguais as essas pessoas que sabem que nao deve , mas fazem , que sabe que é errado mas deixa, porque numa sociedade padrao , se voce errar ninguém vê , e se voce querer mudar o mundo , você é louco , e louco nao tem ninguem , louco vive sozinho e eu que ja queimo nesse inferno de solidao com mil pessoas ao meu redor , imagine sem ninguém? Eu me sinto num abismo e cada vez mais esse mundo tenta me puxar pra baixo , pro fundo , tenta me deixar suja como ele , tenta me fazer ser como essas pessoas nao querem ver ; porque todo mundo sabe que nao pode jogar o lixo no rio que ja esta sujo e voce suja muito mais , todo mundo sabe que devemos ajudar a quem precisa e se voce tem mil roupas porque nao dar algumas praquela menina que nao tem calçados mas tem mais malicia que eu , aquela que vende amendoim e eu nao compro porque amendoim por cinquenta centavos é caro , e eu nao gosto mesmo de amendoim, eu gosto de sandalias que me custam um salario, todo mundo sabe que funk é um lixo e essa apolodia ao crime insentiva ainda mais esses meninos que nascem sem nada, nascem achando que roubar é certo ,e quem esta no asfalto merece mesmo é morrer , todo mundo sabe que aids nao tem cura e que mata gente a todo segundo e nao usa a porra da camisinha, porque acha o sexo muito mais legal pele a pele, eu sei muito bem que é muito mais legal, mas nao é legal perder todos os anticorpos e morrer de gripe, todo mundo sabe mas nao vê ...
Eu só peço a esse Deus que quase nao esta em mim, que ele me ajude a nao cair e nao virar mais uma vitima desse mundo doente , que insiste em me deixar fria ,consumista e má.eu nao quero ser má , eu quero ler um bom livro e dumir ouvindo música , eu quero continuar idolatrando escritores nao marcas , eu quero continuar a chorar e ser dramatica até nao poder mais , quero chorar ouvindo renato e bebel, e ler poemas madrugadas inteiras ao invez de ver o canal sujo da tevê a cabo , tudo esta perdido, mas existe ainda possibilidades e que por favor eu me enquadre em uma delas porque eu preciso ser assim como eu sou , eu ainda quero sonhar,e rir ,e mesmo que esse meu sorriso seje raro , as vezes eu preciso sonhar e rir.

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

quem é mais sentimental que eu ?

Eu poderia passar cem anos adormecida, mas seriam apenas cem anos solitária. Não me revigorariam. Para o meu cansaço corporal, algumas horas bastariam. Mas para o cansaço da minha alma, nem o sono eterno é capaz de amenizar, tampouco curar. Os machucados do meu corpo correspondem apenas a um espelho de capacidade ínfima, em relação aos machucados espirituais que tenho. A diferença é que meus machucados externos se cicatrizam e, com o tempo, some e o que tenho dentro de mim nunca saram. Minha memória é como uma unha que coça até tirar a casca que se forma sobre o sangue exposto na pele. Ela arranha as feridas antigas de supetão e, de repente, minha alma inteira sangra.Minhas lágrimas escorrendo são um reflexo atenuado do sangue que se espalha dentro de mim. Meu corpo é que deveria estar tão enfraquecido, já que chegará um dia que ele irá se desintegrar de mim, mas é justamente meu íntimo que está tão corroído pela dor. Será que o meu eu haverá de ser o único destruído? Ou encontrarei outras almas absortas em sofrimento, caos e desilusão como a minha?
Posso fechar os olhos agora, e dormir para sempre. Mas pode ser que eu nunca mais consiga dormir. E quanto mais eu penso no que fazer, mais me afundo em dor; mais choro de tristeza e melancolia.

terça-feira, 8 de dezembro de 2009


dormi pensando em nós.


amanheci mal , dormi aos prantos , dormi com palavras que me arrancaram o estimulo , a vontade, dormi ouvindo que tenho medo , ouvindo los hermanos , nando reis , dormi pensando em nós e amanheci mal ,em cólera, dormi com duvidas e acordei com mais delas , será até quando que nós vamos resistir? ,será ate quando que vamos tentar sem almejar nenhuma vitoria, ate quando? ate quando eu vou precisar te cobrar o que antes vinha sem querer ,vinha fácil? Ate quando eu vou mentir dizendo que esta tudo bem e que estou muito feliz? , eu não estou feliz , eu não sou feliz , nao por voce , não aqui, não agora; que coincidência é o amor , você nunca mais me surpreendeu , nunca mas me fez perceber que seu amor era meu, nunca mais me fez perder os sentidos , perder a razão , nunca mais me fez fugir de casa as quatro pra te ver em plena madrugada fria , e perigosa , nunca mais sorriu pra mim , sorria eu te peço. apenas sorria eu ainda tenho como me desviar , vem você. traz de volta toda a minha existêcia , eu só peço o você de antes , apenas isso , creio que seja tao repetitivas minhas palavras que devem soar como falsas , mas não , eu só peço isso , só peço que volte pra mim , que volte em mim,
dormi pensando em nós e amanheci mal, agora nem mais sei , será que é você que me faz mal?

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

vê se volta , em quanto é tempo.

nao! de voce nao , logo voce que presava aquela moral de bom moço , do dono da verdade, logo voce que me crucificava quando eu errava , quando eu insistia em cometer meus erros quase bobos , meus erros de criança que era , que sou , voce nao. eu sinceramente imaginava isso de qualquer um , do meu platonico do sul, do meu-amor-impossivel, mas de voce nao , eu me sentia tao culpada as vezes, por ter o namorado perfeito , e ser uma filha de uma grande puta , que sonha com outros , eu me culpava de voce nunca ter errado e eu vivia chorando quase implorando seu perdao , que custava a vir , pra que? chorar pra que? , ontem em meio o melhor dia da minha vida , em meio cem mil pessoas , eu te reconheci , reconheci que voce é , quem voce sempre deve ter sido , e eu que sonhava que voce era tao perfeito que eu nunca havia de encontrar alguem assim como voce , logo quem mentiu , voce , voce nao podia , mentiu de leve , mentiu fraco , mas mentiu , voce quer que eu nao acredite no que eu vi , voce quer que eu insista a mim mesma que eu estou louca , eu nao sou louca , dono dos meus beijos , dos meus olhos , desde de que voce se foi , o meu mundo caiu , desde do que eu vi as outras , porque nao foram uma , nem duas , tres , tres delas . . .e voce queria que eu nao acreditasse no que meus olhos viram , eu senti , como senti uma mao , arrancando de voce tudo aquilo que voce tinha ,tuda aquela prespectiva de namorado perfeito ,- hipocrita e falso , isso que voce é , enquanto eu chorava e derramava lagrimas sangrando , voce nao quis ter a hombridade de adimitir seu erro , seu defeito , sua mentira . voce nao teve a capacidade que eu tive mil e uma vezes de pedir perdao , eu preciso tanto disso , eu preciso perceber que voce quer a mim , que voce quer as malditas pazes , que voce quer que eu nao lembre do ontem, eu vou guiando , eu te espero vem , eu so precisa de meia duzias de palavras bonitas , sempre fui tao de se convencer , sempre fui . . sempre fui boba , eu preciso do homem que me ligava mil vezes ao dia , e eu achava chato , eu preciso do homem que me surpreendia com flores em dias que eu nao tinha nenhum motivo pra comemorar , eu preciso tanto , dos seus beijos puros , do seu abraço que me fazia arrepiar , o nosso fim é, ainda é pior que o fim do amor. . e o pior de tudo é que eu amo ,sempre amei , sempre soube que se seus labios deviam molhar os labios meus , sempre soube que eu nunca te esqueci , que mesmo com todos os problemas e os meus insistentes erros, nao eram nada , mesmo com todos os meus amores platonicos de adolescete , eu sempre te amei. porque eu precisava te abraçar e te beijar de novo . e agora? como faço , se em minha lembraça tem dois de voce , o que me fazia ouvir relicario do nando e chorar com nossos beijos ao sol de arraial , e o que mente , o que ensinua , eu quero aquele de voce denovo , aquele de tres anos atraz , aquele que lembra das datas, aquele que era meu provavel futuro amor , o que nao tinha razao sem mim ,eu te peço , te peço por favor me ame , mas se for amar que ame verdadeiro.

thamirismendez


"ontem que eu disse nao , mas quem vai dizer tchau?
a gente ao percebe um amor que se perde aos pucos sem virar carinho
guardar um amor lá dentro , nao impede que eu ele empedre mesmo crendo infinito."

sábado, 5 de dezembro de 2009

por um beijo mais puro.

(...) um orgasmo mais sincero , uma vida mais facil , um choro menos ácido

- eu lembro do nosso ultimo beijo , nada puro , voce me olhava com uma cara de obrigação mais pena , eu lembro dos meus olhos de fome , de vontade , lembro das suas palavras secas que me perguntavam sem parar o que havia acontecido , e o que haveria de ter acontecido ?, nao era nada bom pra mim , ver que voce continuava a nao sentir, depois de todas as minhas tentativas frustradas , ver que continuava a nao dar certo , que voce continuava a preferir achar que amar é pra fracos , eu lembro das nossas ultimas palavras trocadas quando ainda tinhamos alguma coisa , quando ainda deviamos algo um a outro, eu lembro do rosa , do verde, do seu cheiro , do seu gosto , eu ainda lembro do seu gosto , só pesso que nao demore a voltar , ele esta sumindo , assim como sua foto sumiu do meu quarto , assim como nossa musica sumiu do meu computador , assim como as lembranças dos nossos beijos continuam cada vez mais longe , eu me impresiono com o fato de ter um auto controle imenso e consiguir tentar te esquecer por todo dia , te vendo todas as manhas , te tendo ao meu lado , sentindo aquele mesmo cheiro de sempre , e tendo na minha cabeças as mesmas silabas de sempre, ditas sem graça , ditas com raiva , ditas ao sol, eu insistia que essa era a ultima vez , a ultima tentativa e voce insitia que nao : " porque eu acho que no FUTURO , a gente pode dar certo " olha que isso ja se passou tanto tempo. . .

medo.

o que farei ? perderei sim , meus dias escrevendo , aqui nessa pagina ,
trocarei amigos e amores por letras e paragrafos , paragrafos que me leem , que me expressam ,
eu realmente achei que eu consiguisse viver sem tudo isso daqui , mas nao .
nao tenho pra onde correr quando a dor me consome e eu preciso soltar pra algum lugar meu drama , preciso se nao explodo ,
preciso colocar pra fora todo esse amuntuado de sentimento e medo ,
e dor e medo e medo e medo ... e medo.

as

vezes vou além disso, porque para mim eu sou o meu rei, o meu super-herói, o meu mocinho, o meu vilão, o meu criado, o meu mago, o meu sábio, e você é o coadjuvante :

cabe a você roubar minhas cenas, ou não.

a culpa é do tempo.

' hoje eu escrevi no meu fotolog que eu odeio dias de chuva, não sei, na verdade. Eles nunca me deram motivos pra não gostar, pra pensar, e esse se torna o maior problema de todos, pensar não vai mesmo me livrar de viver - e era isso que eu tinha buscado há meses, um meio de não viver, de não sofrer, de rir apenas rir, de tanto eu querer penso que soverteu , só penso , tem coisa mais autodestrutiva que pensar? Se perder num abismo que é pensar e sentir, não tem, e o maior problema é quem comanda todos esses pensamentos, essa pessoa que não sai daqui, não quer sair, vem como uma brisa bate nas lembranças e arrepia de medo de dor, o meu fato de continuar amando, me fez hipócrita e colocar a culpa na chuva, sabe que assim falando pensas que eu realmente não gosto de chuva e de frio , eu amo , sou ridícula, adoro ver a chuva pela janela, ver meu quarto embaçar; ao som de Los hermanos e Beuquior, eu adoro, queria que por instante, seu rosto sarcástico não viesse em meus pensamentos, para que eu possa pelo menos fingir que te odeio fingir que não penso que não sinto. Fingir que você esta morto pelo menos pra mim.