terça-feira, 28 de setembro de 2010

fazes-me falta.



Esperavas demasiado de mim, esperavas demasiado da vida. Vivias num sebastianismo de alta rotação que às vezes me exasperava, Ninguém ia melhorar- nem o funcionalismo publico, nem a justiça, nem a paisagem , nem o meu rosto no espelho.Amavas-me muito pelo que eu não era, queria a força que eu concretizasse os projetos loucos que as vezes tinha.E eu gostava de imaginar coisas que nunca existirão.


foto/santa.catarina.

Nenhum comentário:

Postar um comentário