quarta-feira, 20 de abril de 2011

adaptação

A gente se autoproclama moderno, desencanado, cabeça-aberta, a gente incentiva o amor-livre, o "se jogar", o hedonismo sem culpa, o prazer imediato, a falta de limites. Mas só até alguém tirar os pingos dos seus is e você perceber que é careta e que quer o tradicional. Que daria tudo para ser só mais um, contente, com um amor pra vida toda ao lado, numa rotina incessante de cidade do interior. Coisas que vão e voltam. Coisas fáceis, simples.

2 comentários:

  1. Adorei o seu texto.
    foi direto e pra alguns um pouco doloroso.
    rs
    mandou bem

    ResponderExcluir
  2. Quanto amor; nós, de fato, somos caretas! :D

    ResponderExcluir