quinta-feira, 7 de abril de 2011

impar

A gente já não tem mais escolhas a não ser as mesmas  , todos os caminhos já foram traçados , todas as estradas já estão dando no mesmo lugar ..
A verdade é que nessa vida não se pode escolher o que se quer , deve se viver , deixar fluir , a mais pura verdade é que amores impossíveis podem ate dar certo um dia , mas os improváveis nunca; eu já estou sã de que eu nunca vou viver ao seu lado , nunca vamos dividir o mesmo travesseiro e acordar com sede no meio da noite .
E enquanto isso eu vou insistir em viver, lutando contra esse medo maior de parar essa porra de vida na metade por sua causa, porque é isso que eu queria  ver se a morte tem lá seu significado a mais ,
Vai ver que do pó que eu me mato eu me transformo, mas enquanto isso eu insisto, enquanto a minha covardia é maior que minha vontade de me desligar de você de vez , eu continuo .. continuo te admirando de longe ,  te ligando as vezes só pra ouvir sua voz rouca no meio da noite , entre um cigarro e outro , eu continuo ouvindo aquelas musicas que me lembram você e lendo suas mensagens entre um trago e outro.
A verdade dói , a verdade de não te ter dói  e a noite demora a passar , tudo demora .. os minutos tem sido rápidos , mas os dias longos , nada cura a dor de não te ter e mim , nem um cigarro , nenhuma droga , nada faz passar o tempo ,  passar a ferida que você causa em mim , que você causou desde quando eu te olhei com meus olhos de resaca pela primeira vez .


2 comentários: